Paulo Gonçalves forçado a abandonar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Paulo Gonçalves forçado a abandonar

Mensagem por CBR666 em Qui Jan 09, 2014 11:38 pm



Este que continua a afirmar-se como o Dakar mais duro dos últimos anos voltou hoje a causar baixas na armada lusa, com Paulo Gonçalves a abandonar numa altura em que era líder da especial, com a sua Honda a incendiar-se. Foi ao KM 143, de uma especial que viu a sua segunda metade ser anulada, por alegados “motivos de segurança”, que Paulo Gonçalves viu a sua CRF 450 Rally pegar fogo, incidente que, iria esclarecer mais tarde um comunicado da Honda, terá sido provocado por um rolo de ervas secas que ficou preso entre o escape e o motor, e se incendiou, alastrando à moto. No final, o Campeão Mundial de TT afirmava-se “desolado, muito triste por ver terminada a prova desta maneira. Estávamos a fazer uma boa etapa, seguia na liderança e estava determinado a vencer. A uma dada altura dei pela moto em chamas, parei de imediato e fiz de tudo para parar o incêndio. Não foi possível. Senti-me impotente, já não havia nada a fazer. Assim terminou o meu Dakar.”

Com Joan Barreda a perder muito tempo hoje, entre dificuldades de navegação e problemas com o combustível, o atraso de Pizzolito, e os abandonos de Gonçalves e Sunderland (ontem), o único piloto a dar hoje uma alegria, moderada, à Honda, foi Hélder Rodrigues, que foi 4º no terreno (posteriormente subiu para 3º, após penalizações) depois de ter tido finalmente um dia sem problemas, tendo subido para 10º da geral. “Vim muito concentrado, porque era uma etapa particularmente exigente ao nível de navegação e onde a leitura do terreno tinha por vezes de ser muito bem interpretada já que as chuvas provocaram alterações dos leitos dos rios. O resultado de hoje permite-me amanhã partir entre os primeiros para a derradeira etapa antes do dia de descanso”, afirmou o “Estrelinha” na chegada a Tucumán.

Marc Coma venceu o dia, seguido pelo seu “escudeiro” Jordi Viladoms, e passou a liderar confortavelmente a geral devido ao atraso de Joan Barreda.

Mas, entre os portugueses, não foi apenas Hélder Rodrigues que teve um bom dia, pois tanto Pedro Oliveira como Pedro Bianchi Prata treparam bastante na classificação geral, após terem sido, respetivamente, os 14º e 15º mais rápidos do dia (após penalizações). O piloto da Speedbrain é agora 24º da geral, seguido, no 25º posto, pelo portuense da Husqvarna, que hoje galgou 13 posições.
No final, Bianchi Prata expressava o seu contentamento:“Hoje o dia correu muito bem. Não arrisquei nada e fiz uma navegação perfeita. Foi um dia muito duro para as motos e a nossa mostrou mais uma vez o elevado nível de preparação ao mostrar-se sempre impecável, mesmo com temperaturas superiores aos 50 graus em piso de areia.” Quanto a resultados, Bianchi Prata não quer ainda adiantar previsões. “Isso é impossível de se fazer com este Dakar. “Todos os dias vemos alterações importantes na classificação, estamos a enfrentar etapas mesmo muito duras e isso explica igualmente a cada vez maior lista de abandonos. Temos que levar a prova dia após dia, ainda não estamos no final da primeira semana e tudo está por decidir. Estou muito satisfeito com o que fiz até ao momento e ganhar 13 posições hoje foi mais um aumento na moral de toda a equipa. O esforço compensa e vamos continuar a trabalhar para manter este bom momento.”

Quanto a Mário Patrão, que soma uma penalização de uma hora, foi o 51º do dia, e encontra-se agora no 36º lugar.“Depois de no dia anterior ter feito uma etapa sem radiador na minha moto, o que obrigou a ter de parar de 30 em 30 quilómetros para abastecer água e rodar a baixa rotação, hoje tive de partir muito atrás e seguir no imenso pó dos meus adversários. Acabei por ter ainda um problema num dos tubos de gasolina, o que me obrigou a parar algum tempo para reparar, e no final não fui tão feliz quanto esperava. Mantenho-me em prova e isso é o mais importante, vou dar o meu melhor até ao Chile para melhorar o resultado do ano passado”.



Classificação geral – após 5º dia

1. Marc Coma (KTM), 18h45m11s
2. Joan Barreda (Honda), a 41m10s
3. Francisco Lopez (KTM), a 53m41s
4. Jordi Viladoms (KTM), a 58m58s
5. Alain Duclos (Sherco), a 1h02m13s
6. Jeremias Israel (Speedbrain), a 1h23m30s
7. Olivier Pain (Yamaha), a 1h12m22s
8. Jakub Przygonski (KTM), a 1h43m02s
9. David Casteu (KTM), a 1h52m41s
10. Hélder Rodrigues (Honda), a 1h58m18s
24. Pedro Oliveira (Speedbrain), 5h08m33s
25. Pedro Bianchi Prata (Husqvarna), a 5h09m46s
36. Mário Patrão (Suzuki), a 6h23m55s


Última edição por CBR666 em Sex Jan 10, 2014 11:16 pm, editado 1 vez(es)
avatar
CBR666

Data de inscrição : 22/06/2011
Idade : 32
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário https://www.facebook.com/Oficina.L.L.Motors

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Paulo Gonçalves forçado a abandonar

Mensagem por Kuhn em Sex Jan 10, 2014 5:01 pm

Sena marada foi mesmo azar  Evil or Very Mad 
avatar
Kuhn

Data de inscrição : 27/05/2011
Idade : 37
Localização : Almada

Ver perfil do usuário http://www.motogportugal.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Paulo Gonçalves forçado a abandonar

Mensagem por CBR666 em Sex Jan 10, 2014 11:18 pm

Alterei a imagem porque penso que esta foto tirada pelo Sr. Franck Fife da AFP está brutal. Ainda vamos em Janeiro e tenho a certeza que poderá no final do ano estar no "top ten" das melhor fotos tiradas em 2014...
avatar
CBR666

Data de inscrição : 22/06/2011
Idade : 32
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário https://www.facebook.com/Oficina.L.L.Motors

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Paulo Gonçalves forçado a abandonar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum